Ibéria 10 Anos Concerto

MANUEL D’OLIVEIRA, guitarrista de excepção, a quem se pode aplicar, sem esforço, o adjectivo de virtuoso, empresta às suas composições os reflexos de uma alma ibérica que lhe corre nas veias, sem contudo deixar latente um respeito, uma veneração intemporal pelas suas origens e tradições.

É já no dia 14 de Julho, a convite da GUIMARÃES 2012 CAPITAL EUROPEIA DA CULTURA, que volta a reunir-se com Carlos Benavent e Jorge Pardo, dois músicos históricos do Flamenco-Jazz, que assumiram papel determinante no início da vida artística deste jovem, hoje exímio instrumentista. Pelo percurso de Benavent e Pardo, já passaram nomes como Paco de Lucia, Miles Davis, Chic Corea, Pat Metneny entre muitos outros.

Na base deste reencontro encontra-se IBÉRIA, o seu primeiro trabalho discográfico de originais, agora o mote para o presente espectáculo que subirá à cena com o título genérico IBERIA DEZ ANOS – MANUEL D’OLIVEIRA, CARLOS BENAVENT E JORGE PARDO.

Ibéria, o lugar geométrico de um encontro de culturas e povos, materializa-se em cena através da fusão dos sons e da triangulação de um imaginário comum e partilhado.

Enquanto espaço geográfico, a Ibéria foi e é o sentido presente e futuro de uma mescla de culturas que, em palco, – esse local mágico, – se transmuta pela paixão, pela capacidade técnica e pela criatividade, numa união de momentos, numa síntese de linguagens, onde se envolvem três extraordinários músicos, três linguagens, três personalidades.

Volvidos dez anos, retornam para dar corpo a novas peças musicais, a novas viagens aos confins de uma cultura ibérica que estes três músicos e compositores partilham, sem limites nem fronteiras.

A acompanhá-los estarão Filipe Raposo, no piano e sintetizadores, Joaquim Teles, na percussão, e João Frade, no acordeão.

Este reencontro entre Manuel d’Oliveira, Carlos Benavent e Jorge Pardo perfila-se como um novo capítulo de uma colaboração, que se fez amizade e os levou à concretização de vários concertos em Portugal e Espanha.

Será assim desta fusão, desta triangulação de sonoridades do imaginário ibérico com diferentes estilos musicais que rondam o fado, o jazz, o flamenco e a música popular portuguesa que brotarão os sentimentos, a mestria e os mais inesperados diálogos concebidos por estes três músicos mestiços na forma de compor e unidos pela mais universal das expressões humanas.

Ficha Artística:

Manuel d’Oliveira – Guitarras acústicas
Carles Benavent – Baixo eléctrico
Jorge Pardo – Flauta e Saxofone
Filipe Raposo – Piano e Sintetizadores João Frade – Acordeão
Joaquim Teles (Quiné) – Bateria e Percussão

Apoios:
Tecnosound|Ultimatum café jazz café|Vimusica|Vira Bar|